Cultura, Arte e Tecnologia

Burning Man 2015 com William Praniski

O fotógrafo e filmmaker William Praniski, vencedor da categoria Fotojornalismo do Festival mObgraphia 2015 esteve no deserto de Nevada este mês, na edição anual do Festival. Além de belíssimas imagens que vamos apresentar abaixo, o fotógrafo fez um resumo de sua experiência, que nós da mObgraphia adoramos. Aliás, estamos planejando uma mObtrip para lá há alguns anos. Agora só falta baixar o dólar haha!

O que é o Burning Man 

É um acampamento que forma uma cidade temporária de 50 mil habitantes. Não é um festival de música, mas tem muito DJ e muita gente leva seus instrumentos. Não é uma Bienal, mas reúne milhares de artistas e centenas de obras de arte de grande porte. Não é Carnaval, mas quase todo mundo usa fantasias e há carros alegóricos, só que pequenos para os padrões brasileiros. Não é Réveillon, mas parece, por causa da excitação, da alegria geral e dos incríveis fogos de artifício que soltam no sábado apoteótico, quando queimam a instalação principal, que é um enorme homem de madeira. Durou de segunda a segunda, antes do Dia do Trabalho (que nos EUA acontece no começo de setembro). Mas muita gente vai uma semana antes, para organizar seus campings.

Veja mais aqui.

BM 2014

Abaixo, o relato e o ensaio de William Praniski

“Você está andando pelo deserto, quando de repente, um polvo gigante de 8 metros de altura lança chamas pelos tentáculos e deixa todos em choque. Não, você não está em sonho, é apenas mais uma edição do Burning Man, maior festival de contracultura do mundo.

Por anos eu ouvia  falar do burning man e finalmente esse ano tive a chance de conhecer. O festival acontece todo ano no deserto de Nevada nos EUA. Milhares de pessoas de vários lugares do mundo se juntam para dançar, apreciar arte, conhecer pessoas novas, fazer arte, participar de workshops e comer muita poeira. Por 7 dias o deserto de Black Rock City se transforma em uma cidade com cerca de 70 mil pessoas e o mais interessante é que não existe uma cesta de lixo sequer. Tudo que você traz você leva de volta, essa é a ideia do burning man: “leave no trace.” Você é responsável pelo seu próprio lixo. As únicas coisas que se podem comprar lá são: água e café, fora isso não existe dinheiro lá. A maioria das pessoas ficam em trailers ou RV’s e alguns em barracas de camping. A área de mais de 10km2 é organizada como um relógio onde no meio fica o “man” e cada hora do dia representa uma rua. A cidade é repleta de esculturas de arte feitas por participantes do mundo inteiro, sem contar os inúmeros palcos e art cars (algo como um trio elétrico no Brasil) espalhados pelo deserto.

Este ano pela primeira vez tivemos um projeto Brasileiro no festival e eu tive o prazer de conhecer o designer Daniel Strickland, que junto com uma galera de São Paulo trouxe o projeto Mangueira  para o festival (veja aqui e aqui.). Eu estava lá para filmar um amigo brasileiro que toca no festival há 6 anos (Dj Trotter) e é dono do maior selo de downbeat no Brasil, o Royal Soul Records. Depois de mais de 29 edições do burning man posso afirmar que ele está mais vivo do que nunca e é uma experiência ímpar. Sempre fui muito fã do escritor e ilustrador Dr. Seuss e resolvi fazer um foto essay com partes de um dos seus livros: “oh the place’s you’ll go”  .

Confira o ensaio:

Os dez fundamentos do Burning Man:

Parte da matéria da FSP de Marion Strecker, que esteve no BM de 2011

1) Carros: Proibido circular dentro da cidade temporária de Black Rock City. A cidade do Burning Man é projetada apenas para bicicletas e pedestres. Exceto quanto aos veículos dos departamentos da organização da cidade e os veículos licenciados pelo Departamento de Veículos Mutantes (que eu prefiro chamar de carros alegóricos, para melhor compreensão dos brasileiros), nenhum carro, moto ou lambreta tem autorização para circular no interior da cidade. Para entrar ou sair de Black Rock City, o limite máximo de velocidade é de 5 milhas por hora, para não levantar muita poeira.

2) Não deixe nenhum rastro: A organização da cidade não oferece nenhum local onde deixar o seu lixo. Todo o lixo que você produzir terá de ser levado de volta por você mesmo. A única coisa que o Burning Man vai prover são banheiros públicos portáteis (com papel e sem filas), limpos regularmente, nos quais não é permitido jogar nada exceto restos humanos. Nenhum lencinho úmido, entendeu? Pratique a regra dos seis “Rs”: repense, reduza, reuse, recicle, respeite, restaure.

3) Comércio: Você não pode comprar nem vender nada dentro do Burning Man. A cidade temporária de Black Rock foi concebida para ser um local de compartilhamento, de presentear ou, no máximo, fazer trocas. A única exceção é o Café Central e suas duas filiais na cidade temporária de 50 mil habitantes, que vendem café, gelo e algumas bebidas como um serviço público. Se você quiser dar comida ou bebida para o público, terá de ter autorização prévia da Secretaria de Saúde Pública do Estado de Nevada.

4) Fronteiras públicas: Será estabelecida uma área em La Playa em torno de Black Rock City. Não é permitido dirigir nem acampar nessa área. Só é permitido instalar obras de arte ali.

5) Instruções sobre fogo: Segurança é fundamental. Todas as estruturas precisam ficar a 20 pés de distância de qualquer coisa que vá ser queimada. Não queime nada exceto madeira e papel. Queimar plástico ou lixo provoca fumaça tóxica. Não entupa as grandes piras na Esplanada do Burning Man. Você precisa monitorar o que quiser queimar, de modo que não caia. Você precisa recolher os restos e as cinzas de tudo o que quiser queimar. Fogos de artifício e congêneres (que não os gerenciados pela organização do Burning Man) são proibidos em Black Rock City e resultam em multas. Obras de artes só podem ser queimadas pelo próprio autor. Nenhum tipo de fogo é permitido na superfície de La Playa (isto é, do deserto salgado).

6) Cachorros: Não se atreva a aparecer com seu cachorro na porta do Burning Man e achar que vai ser admitido. Esta regra visa o bem estar e a segurança de todos os participantes e dos seus amigos de quatro patas.

7) Som: As zonas para som artístico de grande escala estão situadas entre as ruas 2 e 10 no final do nosso acampamento. Na cidade, o máximo de amplificação permitido é 300 watts, produzindo não mais que 90 decibéis a 20 pés. Pense nos seus vizinhos. Se um problema de excesso de volume persistir depois de uma advertência, o equipamento ou sistema será desabilitado. Veículos mutantes com sistemas de som precisam seguir as mesmas regras quando passam pela cidade, se aproximam dos acampamentos ou das instalações artísticas.

8) Ingressos: Violar estas regras ou ter um comportamento violento antissocial pode invalidar o seu ingresso. Este ano, os ingressos não foram vendidos na porta do evento (até porque estavam esgotados…). A admissão foi permitida a partir das 12h01 da segunda-feira dia 29 de agosto. Ninguém menor de 18 anos foi admitido sem pai, mãe ou guardião.

9) Leis: O Burning Man não promove nem perdoa o uso de drogas ilegais. O uso de tais drogas num desafio físico e num ambiente arriscado como este pode criar sérios riscos para a saúde. Bebidas alcóolicas para menores de 21 anos é proibido por lei. Atos sexuais são proibidos em locais públicos de Black Rock City. O Burning Man apoia seu direito à privacidade como um residente de nossa comunidade.

10) Armas de fogo: A posse de armas de fogo, incluindo paintball ou rifles de ar, estão proibidos em Black Rock City.

Bill Hornstein

Esta entrada foi publicada em setembro 22, 2015 às 10:40 am e está arquivada sob Uncategorized. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: