Cultura, Arte e Tecnologia

mObgraphia Film Festival 2016

E X O D U S (5)

Nesta quarta feira, dia 7 de dezembro, à partir das 19 horas no MIS, estaremos apresentando alguns finalistas e os dois vencedores da nossa segunda edição de um festival experimental, com filmes até 15 minutos produzidos em smartphones.

Na mesma noite, exibição especial do primeiro longa produzido com smartphones no Brasil, “Charlote SP ” do diretor Frank Mora em cópia de cinema.

Na noite de premiação e projeções do mObgraphia Film Festival, projeção especial do primeiro longa feito com smartphones no Brasil. Direção de Frank Mora que estará presente..png

Este ano, com tema único, “Êxodo”, buscamos provocar os cineastas a produzirem seus filmes refletindo um momento de mudança contínua e cada vez mais forte que o planeta passa.

Migrações, crise de refugiados, crises pessoais que implicam em mudanças de vida, de cidade, de país, de amigos, tudo ao mesmo tempo agora, contando histórias curtas e fortes que provoquem reflexão e ação.

Tivemos uma resposta forte do mundo todo, inclusive do Brasil (ainda com um longo caminho a percorrer neste tipo de produção).

cenaurbana-stats-2

Foram 9 filmes selecionados e desta vez, teremos dois filmes dividindo o prêmio (não deu para desempatar, os dois são belíssimos).

The Bus Trip de Sarah Gampel

eddbf1c88e_2016125_73611_leaf_sized

Sinopse:

Sarah é convidada a mostrar seu filme em Israel como parte de uma viagem de ônibus do festival de cinema. Ela espera discussões políticas e amizade, exceto que a conversa pára a cada vez que ela traz a ocupação da Palestina. Então, em vez disso, Sarah fala com seu pai morto por uma linha de telefone ruidosa.

Sobre a cineasta:

Sarah Gampel é uma animadora independente de Estocolmo, na Suécia. Estudou roteiro em Copenhaguen, além de animação na Academia de Artes Dramáticas de Estocolmo (SADA) e na Escola de Artes Visuais de Nova York. Seus filmes contam histórias pessoais que muitas vezes se relacionam com questões políticas específicas. Seu trabalho foi exibido no Museu Nobel de Estocolmo, no Festival Internacional La Havana de Novo Cinema Latino-Americano em Cuba, bem como em eventos cinematográficos em Nova York, Givat Olga e Ramallah.

 

FANTASSÚT (Rain on the borders) de Federica Foglia

eddbf1c88e_2016125_73611_leaf_sized

 

14886086_10210432622562944_1009642980_n



Sinopse:

11.000 refugiados estão presos há meses no campo de refugiados de Idomeni, na fronteira greco-macedónica. Este pequeno documentário é um vislumbre de suas vidas em uma zona de crepúsculo esquecido, enquanto esperam as fronteiras européias serem abertas.

Sobre a cineasta:

clrdpmsucaag8vk

Federica Foglia nasceu e cresceu em Nápoles, na Itália. Graduou-se na Universidade de Nápoles L’Orientale em Línguas Multimédia e Ciências Humanas Informática: História Arte Teatro e Cinema.

Depois de trabalhar para Interno5 (Nápoles) e para o Fringe Napoli Teatro Festival, ela decidiu mudar para cinema e fotografia, e se juntou produções cinematográficas internacionais na Itália.
Em 2012, ela deixou a Itália e mudou-se para Toronto, onde atualmente trabalha e vive.

Ela trabalhou na Academia de Cinema e Televisão Canadense, sob a orientação de Helga Stephenson, e com vários festivais de cinema e teatro que a colocaram em contato com produtores e escritores.
Recentemente ela foi assistente do diretor indicado ao Oscar Deepa Mehta, e Hamilton Mehta Productions (Toronto).

Exit / Entrance ou Trasumanar (7 ‘) (2015), seu primeiro curta-metragem, estreou no Toronto International Film Festival, Raindance festival de cinema de Londres e Reykjavik festival internacional de cinema.

 

Os finalistas:

c7ebd6dddf_2016125_7374_leaf_sized

cenaurbana-stats-3

 

E X O D U S (2)


											
Esta entrada foi publicada em dezembro 5, 2016 às 1:10 pm e está arquivada sob Uncategorized. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.
%d blogueiros gostam disto: