Cultura, Arte e Tecnologia

mObgraphia no MIS 2017 – Como foi

A fotografia produzida em smartphones ou celulares ‒ Mobgrafia ‒ alcançou em 2017 um patamar não imaginado até pouco tempo atrás. Desde o início, a mObgraphia Cultura Visual busca abrir espaços para exibição e produção visual mobile.

Nossas participações como convidados nos mais importantes festivais de fotografia do Brasil e do exterior também atestam que a mobgrafia como arte e expressão, veio para ficar e fortalece a aceitação de toda produção visual independentemente da ferramenta utilizada, além de afirmar sua riqueza, diversidade e inclusão, já que é feita por pessoas de todas as origens e profissões, que criam registros que preservam a memória do nosso tempo.

Em 2017, a mObgraphia Cultura Visual passa a integrar a programação do Maio Fotografia no MIS com três exposições. Avessos e paradigmas reuniu quatro decanos da fotografia brasileira para uma produção única de mobgrafias que abraça a inovação, a tecnologia e a inclusão dessa nova arte visual.

O coletivo internacional Hikari Creative, formado por premiados fotógrafos internacionais, apresentou suas produções com smartphones na mostra A arte da observação urbana. O Festival e Prêmio Latino-americano de Mobgrafias (FLAMOB) apresentou as fotografias premiadas em seis categorias ‒ Arte em Mobgrafia, Documental, Retrato, Preto e branco, Street e Paisagem ‒, além de trazer uma novidade: partindo do tema “Qual é a sua história?”, a edição de 2017 teve como destaque especial a  categoria Ensaio, valorizando de forma apropriada a importância das narrativas visuais.

Além disso, o Flamob Talks, que reuniu vários temas e personagens importantes em suas áreas, debatendo o momento atual e as tendências da nova arte.

Destaque para a conversa entre Marcio Vasconcellos e Diógenes Moura, contando os bastidores e detalhes dos quase três anos de produção da exposição e livro “Visões de um poema sujo”, baseado na obra de Ferreira Gullar. Uma oportunidade única para quem produz arte, não importa com que ferramenta, de vivenciar um pouco os caminhos que levam à concretização de projetos artísticos.

Há uma mudança importante em curso. Os smartphones não são apenas parte da nossa vida; eles são parte do nosso jeito de ser, de nos relacionarmos, de nos comunicarmos e, inclusive, de produzir imagens, contar histórias, fazer arte.

A arte cada vez mais é de todos. A mObgraphia junta arte e todos.

Passeie pelas exposições exibidas este ano. É rapidinho e mostra tudo o que estava lá.

 

Esta entrada foi publicada em junho 23, 2017 às 5:04 pm e está arquivada sob Uncategorized. Guarde o link permanente. Seguir quaisquer comentários aqui com o feed RSS para este post.
%d blogueiros gostam disto: